Porque precisamos tanto falar?

Clique aqui para ouvir esse artigo
A busca espiritual começa como uma procura da felicidade eterna, como uma procura da libertação eterna, como uma procura da luz divina e da vida divina. Mas o centro é sempre você. No início, trata-se de uma busca egocêntrica. Seja o que for que você esteja buscando, está buscando para si mesmo (Osho).

 

Quando começamos esta busca espiritual é natural e inteiramente imprescindível que nos preocupemos conosco. Afinal estamos colhendo informações, estudando, avaliando e experienciando. Entretanto chegamos em um momento em que, se estivermos totalmente submetidos à busca, as informações se transformam em conhecimento.

 

Porque digo que a informação se transforma em conhecimento? Porque o verdadeiro conhecimento tem a ver com experiencia, e não apenas com informação. Um exemplo que ilustra bem esta afirmação é o seguinte: uma turma de graduação em contabilidade de 30 pessoas quando concluída, ou seja, quando formados, há vários tipos de “contadores”, entre eles há aqueles que saem da faculdade e não conseguem entrar em um escritório e executar a contabilidade assim como há aqueles que cuidam de um escritório inteiro sozinhos. Nós sempre dizemos que a graduação não faz o profissional, mas a experiencia o faz. Isto significa que algumas pessoas concluem seus estudos e apenas obtiveram a informação e outros a experienciaram. Apenas os que experienciaram possuem o conhecimento.

 

Na caminhada espiritual acontece da mesma forma. Há aqueles que conhecem todas as escrituras e toda a sorte de normas das instituições, mas apenas tem a informação, pois não tiveram a experiencia transcendental. Por outro lado, há aqueles podem não ter tanta informação assim, porem tiveram a experiencia, ou seja, estes possuem o conhecimento.

 

No exato momento em que o conhecimento verdadeiro acontece, digo, quando a informação é verdadeiramente experimentada, é necessário que a contrapartida seja oferecida ao mundo. E digo que é necessário, mas não mandatório, é uma necessidade interior, uma voz que insiste em falar.

 

É como se inspirássemos o ar e precisamos expirá-lo para completar o processo de respiração.

 

Tudo que entra sofre uma transformação e precisa sair. Só saindo pode entrar novamente o novo. E assim o ciclo do conhecimento experimentado nunca termina.

 

Quanto mais experienciamos e conhecemos, mais precisamos compartilhar. E o compartilhamento pode acontecer de várias maneiras. Pode ser escrevendo (meu caso), pode ser ensinando algo, pode ser explicando algo, pode ser mostrando algo, pode ser cuidando de alguém, pode ser transmitindo alegria, pode ser amando ou simplesmente sorrindo.

 

Aliás, o poder de um sorriso sincero é incalculável. Ele pode transformar uma situação inteira de alguém.

 

Portanto o que tenho a dizer com este texto é o seguinte:

 

Busque informação => Transforme esta informação em conhecimento => abra o coração e experiencie, viva => compartilhe sua transformação com o mundo.

É o que estou fazendo aqui. As palavras urgem dentro de mim. Urgem tanto que nem consigo propagar toda a felicidade que acontece dentro de mim. Quando estou aqui escrevendo consigo sentir todo o fluxo da energia correndo através de mim. Não ofereço resistência alguma nestes momentos. É como sentir Deus pessoalmente.

 

Eu fiquei muito tempo duvidando da existência de Deus. Hoje posso dizer com toda a certeza que ele existe, que ele está em todos os lugares e que ele se mostra pra mim, se mostra pra você e para todos nós. Basta que estejamos com os sentidos abertos para sentir sua presença.

 

Com amor,

Valéria.

 
 
 

Você também poderá gostar